Rodrigo Pacheco já tem 68% dos votos necessários para presidência do Senado

Senador mineiro já estruturou uma base aliada, enquanto rivais ainda não definiram um pré-candidato

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) já conta com 68% dos votos necessários para se eleger presidente do Senado Federal no biênio 2021-2022. A eleição do sucessor de Davi Alcolumbre (DEM-AP) na Mesa Diretora acontecerá em 2 de fevereiro deste ano.

Ao todo, são 28 senadores que já se comprometeram a votar em Pacheco, contando o próprio pré-candidato. Esse número foi possível após cinco partidos anunciarem o apoio ao senador mineiro: PSD (11), Pros (3), Republicanos (2), PT (6) e PSC (1). Esses dois últimos anunciaram apoio nessa terça-feira (12/01).

Além dessas legendas, o Democratas, partido de Pacheco e do atual presidente do Senado, conta com cinco representantes na Casa. Para ser eleito, o candidato precisa de 41 dos 81 votos.

A base aliada de Pacheco vai além do Senado. O Palácio do Planalto, por meio do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), também já declarou que tem a confiança do senador mineiro na disputa e no comando da Casa para os próximos e últimos dois anos do atual mandato de Bolsonaro.

A declaração foi dada a membros do MDB, um dos partidos que estuda lançar candidatura própria. Apesar disso, até a manhã desta terça-feira (12/01), nenhum movimento oficial foi dado. Os senadores Eduardo Braga (MDB-AM), Eduardo Gomes (MDB-TO), Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) e Simone Tebet (MDB-MS) são cotados.

Outras 13 legendas compõem o Senado. Dessas, a expectativa é de que o PP, com sete senadores, seja a próxima a cravar o apoio a Pacheco.

Vale aqui um adendo, o senador Rodrigo Pacheco, teve sua infância e parte da adolescência, vidas em Ituiutaba, onde também conta com primos e parentes diversos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *