CBMMG dá dicas sobre atividades de lazer em balneários

Com as recentes medidas de restrição em atividades não essenciais, como: clubes, cinemas, bares e restaurantes, há uma tendência da população em procurar por locais de lazer, como lagoas, rios, cachoeiras e represas.

O 2° Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais em Ituiutaba traz recomendações da página do CBMMG na internet, sobre o período de temporada de final de ano, que continuam válidas para esse momento.

1. Use colete salva-vidas

As boias transmitem falsa sensação de segurança, já que elas podem virar e a criança se afogar. Pessoas utilizando boias tendem a se distanciar da margem. É importante que as crianças permaneçam utilizando colete salva-vidas.

2. Atenção 100% nas crianças

Mantenha a distância máxima de um braço da criança. Celulares, livros e conversações são elementos de distração, os evite enquanto estiver com crianças em ambientes aquáticos. A total supervisão dos pais é a melhor forma de prevenir afogamentos.

3. Se beber, não nade

Há casos de pessoas alcoolizadas, vítimas de afogamento fatal, em locais com meio metro de profundidade. Isso acontece, porque pessoas alcoolizadas ficam com menos precisão, diminuem a noção dos riscos, têm prejuízos quanto à coordenação motora, força, respiração e circulação. Esses fatores aumentam, significativamente, as chances de exaustão e/ou mal súbito, que em meio aquático, podem levar ao afogamento fatal.

O recomendável é que ao adentrar na água, a pessoa que estiver alcoolizada esteja acompanhada por um responsável que não tenha ingerido bebida alcoólica.

4. Se comer, não nade

Se a pessoa acabou de consumir alimentos, principalmente, de difícil digestão, e foi fazer exercício físico, o sistema digestório e o trabalho muscular estarão competindo pelo maior fornecimento de sangue.

Como resultado, algumas pessoas podem ter desconforto gástrico, refluxo e até mesmo vomitar. Além disso, podem ocorrer câimbras. Dependendo da intensidade e, se o indivíduo estiver na água, pode haver mal súbito, submersão e afogamento.

5. Cuidado com as embarcações

A recomendação é sempre utilizar o colete salva-vidas e verificar se a embarcação está respeitando o limite máximo de passageiros. Parte dos óbitos por afogamento acontece com usuários em embarcações e em atividades de pesca.

6. Competições Aquáticas

Competições como travessias só devem ser realizadas quando houver uma equipe de segurança, pois, a exaustão ou mal súbito podem levar à submersão e ao afogamento. Outra recomendação é que as pessoas evitem nadar durante a noite ou em locais isolados.

Saltos de elevações provocam perda de consciência seguida de afogamento, ou em outros casos, fraturas, traumas raquimedular, paraplegia ou tetraplegia. Em caso de trovoadas, permaneça longe da água.

7. Afogamentos

Se você avistar alguém se afogando, não se lance na água para tentar salvar a pessoa, forneça objetos flutuantes como boias e caixas térmicas, ou tente estender uma galhada ou corda para a vítima.

As pessoas sem treinamento não conseguem resgatar a nado um afogado e, geralmente, se afogam nessa tentativa.

8. Acampamentos

Geralmente, nos locais de acampamentos, não há sistemas de prevenção a afogamentos como guarda-vidas, placas de sinalização, delimitação da área de banho sinalizada e com profundidade segura, delimitação de área de embarcações.

Diante disso é recomendável que os organizadores do acampamento se antecipem aos acontecimentos. A dica é que o grupo leve uma boia amarrada a uma corda para casos de emergência. Reúna os participantes, faça uma leitura de dicas de prevenção e afogamentos.

E lembre-se: as regras de isolamento são importantes em qualquer local, seja localizado dentro da cidade, ou em zona rural, como cachoeiras. Por isso, deve-se respeitar as medidas tomadas por órgãos públicos, uma vez que o Covid-19 não escolhe local para contaminação.

Bombeiros Militar de Minas Gerais! Amigo certo nas horas incertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *