Veja os ministros, governadores, prefeitos e secretários que renunciaram

Com a proximidade das eleições deste ano, ministros, governadores, prefeitos e secretários largaram seus postos para disputar o pleito.

Isso aconteceu porque, de acordo com a Lei de Inelegibilidades, de 1990, os servidores do Executivo que desejam se candidatar precisam deixar os cargos até seis meses antes do primeiro turno – a ideia é evitar que eles usem as funções para obter vantagem eleitoral.
Em 2022, esse prazo termina no próximo sábado (2/04).
Ao contrário dos cargos executivos, os ocupantes de cadeiras legislativas no país não precisam se preocupar com a data. Para a legislação eleitoral brasileira, não há na Constituição nenhuma restrição à sua plena elegibilidade.

Confira a lista 

  • Damares Alves – Ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos deixa o cargo para ser candidata ao Senado ou à Câmara dos Deputados. Cristiane Britto, que era secretária nacional de Políticas para as Mulheres, assume a vaga.

  • Tarcio Gomes – O ex-ministro da Infraestrutura será candidato do governo Bolsonaro por São Paulo. Marcelo Sampaio, que era secretário-executivo do ministério, assume o cargo.

  • João Roma – Ex-ministro da Cidadania deixa o cargo para ser candidato do governo Bolsonaro ao governo da Bahia. Neste momento, Roma voltou à Câmara dos Deputados e segue seu mandato. Ronaldo Vieira Bento, que chefiava a assessoria de Assuntos Estratégicos do ministério, assume a vaga.
  • Marcos Pontes – O ex-astronauta e ex-ministro da Ciência e Tecnologia larga o Ministério para ser  pré-candidato a deputado federal por São Paulo.  Paulo Alvim, que era secretário de Inovação do ministério, sobe como ministro.
  • Onyx Lorenzoni– Ex-ministro do Trabalho e Previdência é pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul. Ele retoma agora o cargo na Câmara dos Deputados.  José Carlos Oliveira, que presidia o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é o novo ministro.

  • Flávia Arruda – Ex-secretária de Governo também deixa o cargo para ser pré-candidata ao Senado no Distrito Federal. Ela volta à Câmara dos Deputados. Célio Faria Júnior, que era chefe do gabinete pessoal de Bolsonaro, assume a pasta.

  • Tereza Cristina – Ex-ministra da Agricultura é  pré-candidata ao Senado no Mato Grosso do Sul. Ela também volta à Câmara dos Deputados. Marcos Montes, ex-deputado, que era secretário-executivo do ministério, foi nomeado ministro.

  • Rogério Marinho – Ex-ministro do Desenvolvimento é pré-candidato ao Senado no Rio Grande do Norte. Daniel de Oliveira Duarte Ferreira, que era secretário-executivo da pasta, assume o cargo.

  • Gilson Machado – Ex-ministro do Turismo é  pré-candidato ao Senado em Pernambuco. Carlos Brito, que era diretor-presidente da Embratur, assumiu o cargo.

Governadores

João Doria – Ex-governador de São Paulo deixou o cargo para concorrer à Presidência. A decisão foi tomada depois que Doria sinalizou que desistiria do pleito federal e que permaneceria como governador, instaurando uma crise interna no PSDB.  Rodrigo Garcia assume o governo de São Paulo.

  • Eduardo Leite – Ex-governador do Rio Grande do Sul também abdicou do cargo. Leite é o favorito de uma ala do PSDB para assumir a pré-candidatura à Presidência. Em contrapartida, o político diz respeitar a candidatura de João Doria, mas mesmo assim renunciou ao cargo de governador. Ranolfo Vieira Júnior assumiu o posto.
  • Wellington Dias – Ex-governador do Piauí deixou o posto para ser pré-candidato ao Senado. Em uma cerimônia no Palácio de Karnak, sede do governo local, ele passou o cargo para sua vice, Regina Sousa (PT).

Prefeitos

  • Alexandre Kalil – Ex-prefeito de Belo Horizonte renunciou para disputar o governo de Minas Gerais. Kalil vem estudando uma aliança com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que deve ser candidato à Presidência, mas nada ainda foi oficializado. Fued Noman é o novo prefeito da capital mineira.

  • Gean Loureiro 
    – Ex-prefeito de Florianópolis deixou o posto para ser pré-candidato ao governo de Santa Catarina.  O vice-prefeito, Topázio Silveira Neto, assume o posto.

Governo de Minas Gerais

  • Matheus Simões – O ex-secretário Geral do governo mineiro não divulgou a que cargo pretende se candidatar. Ele volta para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais. No lugar de Mateus Simões, foi nomeado Marcel Dornas Beghini,  ex-chefe de gabinete de Simões quando ele ocupou uma cadeira de vereador na Câmara de Belo Horizonte. 

  • Ana Valentin – Ex-secretária geral da Agricultura deixou o cargo nesta sexta-feira (01/04) e deve ser candidata a deputada federal. Thales Almeida Pereira Fernandes, que era diretor geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), é agora o novo Secretário de Agricultura do governo Romeu Zema.
  • Bernardo Silviano Brandão Vianna – Ex-secretário da Cultura e Turismo também foi exonerado a pedido. Ele não divulgou a que cargo pretende se candidatar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.