Quarta fase da Operação ‘Ferro Bruto’ prende integrantes de quadrilha de desvio de cargas no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba; veja lista de procurados

Cinco mandados de prisão preventiva foram cumpridos na quarta-feira (13) pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) durante a 4ª fase da Operação “Ferro Bruto”. A ação, iniciada há cerca de um ano e meio, visa desarticular uma quadrilha especializada em desvio de cargas no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba que causou prejuízo milionário às vítimas.

Na quarta-feira, um dos integrantes foi encontrado e preso em Limeira (SP). Um segundo se apresentou com um advogado na Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Rurais em Uberaba.

Outros três suspeitos de integrar o grupo criminoso alvo da operação já se estavam no sistema prisional de Uberaba e Araxá.

Porém, dez alvos da operação estão foragidos da Justiça e ainda são procurados. A PCMG divulgou uma lista (veja abaixo) com as fotos dos criminosos e pede ajuda da população para denunciar anonimamente.

Qualquer informação sobre a localização dos foragidos podem ser pelos números 181, (34) 3321-6791, 190.

  1. Marcelo Araújo de Castro – “Celim”
  2. Adenilson Silverio
  3. Antônio Alexandre dos Santos
  4. Sérgio Martines Tassi
  5. Célio Faria Ruffo
  6. Fernando Gomes Ferreira
  7. Leomar José Bianchi
  8. Uelinton Cristiano Ferreira
  9. Wadirleyson Rosa Andrade
  10. Moisés Geisel José Eduardo

Operação Ferro Bruto

As investigações iniciaram há cerca de um ano e meio, na Delegacia Rural de Araxá, sendo identificados 38 membros da quadrilha, todos já identificados.

Segundo a PCMG, a organização criminosa atuava da seguinte forma: os motoristas cadastravam em aplicativos de cargas, no trajeto para o destino, outro motorista assumia a direção do caminhão e desviava a carga para os receptadores. Em seguida, o primeiro motorista registrava um Boletim de Ocorrência falso, afirmando que teria sido roubado.

Após levantamentos, a Polícia Civil representou por várias medidas cautelares e prisões preventivas de alguns integrantes, que foram aceitas pela Segunda Vara Criminal de Araxá, com parecer favorável do Ministério Público.

Foram expedidos 15 mandados de prisões preventivas, buscas e apreensões domiciliares e sequestro de bens de integrantes da organização criminosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.