Medicamento em fase de teste elimina vírus da COVID-19

A farmacêutica americana MSD, também conhecida como Merck & Co., anunciou novos resultados do estudo MOVe-OUT de molnupiravir, medicamento antiviral oral para tratamento da COVID-19.

Para o estudo, foi avaliada a carga viral nos dias 3, 5 e 10 do uso da medicação. Em participantes com a carga viral detectável antes do tratamento, molnupiravir foi associado a uma negativação mais rápida do vírus em comparação ao placebo.

No dia 3 de tratamento, o vírus foi detectado em 0,0% (n = 0/92) dos pacientes que receberam molnupiravir, comparado com 21,8% (n=20/96) dos pacientes que receberam placebo. No dia 5, esse resultado foi de 0,0% (n=0/91) para pacientes que tomaram o molnupiravir e de 2,2% (n=2/89) para os que ingeriram o placebo. No dia 10, o vírus não foi detectado em nenhum dos indivíduos.
O desfecho virológico incluiu a avaliação da carga viral no momento do diagnóstico e o percentual dos pacientes com negativação até o dia 29. O estudo avaliou resultados virológicos ao longo e após o uso de molnupiravir por cinco dias versus placebo em adultos não hospitalizados com COVID-19 moderado e que estavam em alto risco de progredir para doença grave.

Os dados serão apresentados no Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas de 2022 (ECCMID). “O resultado reforça nossa confiança no molnupiravir para ajudar no controle da pandemia”, afirma Márcia Abadi, diretora Médica da MSD Brasil.

MOVe-AHEAD

Além do estudo MOVe-OUT, o molnupiravir está sendo avaliado para profilaxia pós exposição no MOVe-AHEAD, um estudo de Fase 3 global, multicêntrico, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo que avalia a eficácia e a segurança do molnupiravir na prevenção da disseminação da COVID-19 dentro da família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.