Twitter vai bloquear fotos de prisioneiros de guerra e restringir contas do governo da Rússia

O Twitter anunciou na última terça-feira (5) mais uma série de medidas para evitar a propagação de imagens de corpos e prisioneiros durante a guerra da Ucrânia. Segundo a plataforma, vai ser exigida a remoção de tweets postados por contas de mídias ligadas a governos caso tenham imagens ou vídeos de prisioneiros

“A partir de hoje, exigiremos a remoção de Tweets postados por contas de mídia afiliadas ao governo ou ao Estado que compartilhem mídias que retratam prisioneiros de guerra no contexto da guerra na Ucrânia”, anunciou, Yoel Routh, chefe de integridade da rede social.

Twitter sem prisioneiros de guerra

A plataforma explicou que a decisão é para impedir que o Twitter seja usado para divulgar conteúdo que viole as Convenções de Genebra , uma das quais exige que os prisioneiros de guerra sejam protegidos. “Estamos fazendo isso de acordo com o direito internacional humanitário e em consulta com grupos internacionais de direitos humanos. Para proteger reportagens essenciais sobre a guerra, algumas exceções se aplicam sob esta orientação quando houver um interesse público convincente ou conteúdo de prisioneiros de guerra digno de notícia”, completa Routh.

Além disso, o Twitter está bloqueando contas do governo russo, removendo recomendações de seguir esses perfis e diminuindo a exibição do conteúdo na timeline de usuários. O anúncio diz que a medida pode ser aplicada a quaisquer “estados que limitem o acesso a informações gratuitas e estejam envolvidos em conflitos armados interestaduais”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.