Estudo diz que Covid-19 aumenta risco de coágulo sanguíneo

Um estudo publicado pelo British Medical Journal (BMJ) apontou que a infecção por Covid-19 aumenta o risco do desenvolvimento de coágulos sanguíneos graves até seis meses depois do contagio pelo SARS-CoV-2.

De acordo com a pesquisa, até três meses depois da infecção pela doença o risco de trombose venosa profunda aumenta. Enquanto o risco de embolia pulmonar aumenta até seis meses depois, e o risco de algum evento hemorrágico sobe até dois meses depois.  

Os pesquisadores já sabiam que a Covid-19 gera um maior risco de coágulos sanguíneos graves, no entanto, não era possível saber em qual período esse perigo era maior. 

O estudo analisou mais de um milhão de pessoas infectadas pela Covid-19 na Suécia entre 1° de fevereiro de 2020 e 25 de maio de 2021. Foi possível concluir que os pacientes com comorbidades possuem um risco maior.  

Os voluntários foram classificados por idade, sexo e local de residência. Em seguida, foram calculadas taxas de trombose venosa profunda, embolia pulmonar e sangramento para comparar com um grupo que não foi infectado pelo SARS-Cov-2.  

O risco foi maior na primeira onda da pandemia do que na segunda ou terceira e os pesquisadores atribuem isso as melhoras no tratamento contra a Covid-19 e maior cobertura vacinal de pacientes mais velhos. 

Covid-19: Brasil teve mais de 27 mil casos nas últimas 24h e 195 óbitos 

Dados coletados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) apontam que até às 18h desta quarta-feira (6), o Brasil registrou 27.120 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, enquanto registrou 195 mortes em decorrência da doença. 

Desde o início da pandemia, o país já soma 30.067.249 casos e 660.723 óbitos causados pela Covid-19.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.