Possível homicídio é registrado no Bairro Granada em Uberlândia; suspeitos já foram identificados

Uma pessoa do sexo masculino, mas sem identidade informada, foi encontrada sem vida na casa em que morava no Bairro Granada, em Uberlândia, na tarde de quinta-feira (7).

A pessoa que denunciou o caso disse que limpava um terreno quando viu que a janela do quarto de uma ao lado estava aberta e conseguiu ver uma pessoa no chão sem se mexer. Em seguida, chamou a proprietária do área que trabalhava para ver a situação, pois ela é dona da residência em que se encontrava a vítima.

Para a polícia, a proprietária do imóvel, que também não teve a idade informada, disse que havia alugado a casa para a vítima há cerca de 20 dias e que na noite anterior tinha escutado conversas entre dois indivíduos do sexo masculino no interior do local, mas que não ouviu discussão.

A vítima tinha sangue na cabeça e aparentava que já tinha falecido há algum tempo. Durante diligências, a PM constatou que em vários cômodos havia sangue e um rastro que seguiu até o portão de uma casa vizinha em frente a um bar.

Quando os militares foram até o imóvel vizinho, o proprietário, sem identidade divulgada, contou que aluga o imóvel para pessoas de Brasília (DF) e que disseram que estão na cidade prestando serviço em uma construtora. Ao abrir o portão para a polícia entrar, também foi encontrado sangue no chão do local, que estava vazio.

Com estas informações, os militares foram até a construtora no Bairro Jardim Karaíba atrás dos suspeitos, que deveriam estar em horário de trabalho. Contudo, o responsável disse que eles não tinham comparecido.

Posteriormente, a PM voltou ao local do crime e conseguiu a identificação dos suspeitos e deu início às buscas, que até a última atualização desta reportagem ainda não havia sido localizado.

A perícia técnica foi acionada para recolher materiais que possam auxiliar na investigação, a equipe da divisão de Homicídios também compareceu ao local para o andamento do caso e um celular que pode ser da vítima foi apreendido.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) e o caso segue em investigação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.