Meta vai cobrar taxa de quase 50% por vendas feitas no metaverso

A Meta, empresa que controla o Facebook, vai cobrar dos criadores e entusiastas uma taxa de 47,5% sobre as vendas de ativos digitais e experiências no metaverso, no caso, no mundo virtual Horizon Worlds.

Segundo um porta-voz da empresa, 30% do total correspondem à taxa da venda de itens através da Meta Quest Store, que também oferece aplicativos e jogos destinados aos headsets de realidade virtual da Meta. O restante, 17,5%, são taxas da própria plataforma Horizon.

Curiosamente, o CEO da Meta, Mark Zuckerberg, foi um dos que criticou as cobranças de até 30% impostas pelas lojas de aplicativos da Apple e Google aos desenvolvedores. A decisão da Meta, segundo a Reuters, já provocou uma forte reação negativa do público, principalmente entre aqueles que pretendiam investir na novidade.

Na segunda-feira (11), a big tech. inclusive, começou os testes para definir como serão as vendas de criptoativos na plataforma.

Vale ressaltar que a empresa-mãe do Facebook tem investido pesado na área de realidade virtual e aumentada, o que faz parte das suas apostas no metaverso, basicamente ambientes virtuais interativos que podem ser acessados por diferentes dispositivos.

Moeda digital própria

A Meta também está estudando ideias de como incorporar tokens digitais em seus aplicativos, como Instagram, WhatsApp e Facebook. Uma delas é o Zuck Bucks, uma moeda digital criada em homenagem a Mark Zuckerberg, fundador, presidente e CEO da Meta.

Por ora, a empresa planeja lançar um projeto piloto da sua nova criptomoeda em meados de maio, para depois realizar um teste que vai permitir a afiliação de usuários do Facebook, revela um memorando da empresa. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.