Eleições 2022: Uberlândia ganha mais de 14 mil novos eleitores; outros 5 mil pedidos de títulos ainda são analisados

Somente em 2022, Uberlândia ganhou mais de 14 mil novos eleitores. O dado foi confirmado pelo Cartório Eleitoral da cidade nesta segunda-feira (9).

Outros 5 mil títulos solicitados pela internet ainda são analisados pela Justiça Eleitoral e o número total de moradores aptos a votar no pleito deste ano pode ultrapassar os 512 mil eleitores. Deste total, mais de 4 mil são adolescentes entre 16 e 17 anos.

Uma das justificativas para o aumento no número de títulos é a campanha de conscientização sobre a importância do voto. Confira abaixo análise de cientista político sobre os fatores que contribuíram para os novos registros.

Novos eleitores

De acordo com o Cartório Eleitoral, Uberlândia fechou o mês de abril com 503.742 eleitores aptos a votar em 2022, o número representa 3,21% do eleitorado de Minas Gerais. Em janeiro, a cidade tinha cerca de 493 mil títulos autorizados, ou seja, aumento de 10.742 novos eleitores em 3 meses.

Do total anunciado em abril, 4.211 títulos são de adolescente entre 16 e 17 anos. No início do ano, eram 1.845 adolescentes aptos a votar. Aumento de 128,23%.

Ainda segundo os dados de abril, 233.569 eleitores são homens (46,37%) e 270.173 são mulheres (53,63%).

No entanto, de acordo com o chefe do Cartório Eleitoral de Uberlândia, Leandro Figueiredo, até o dia 4 maio – prazo final para solicitação e regularização de títulos de eleitor – a cidade registrou quase 3.500 novos pedidos, chegando a 507.231 votantes aptos. Só que o número ainda pode aumentar com a emissão de cerca de 5 mil títulos solicitados pela internet.

“Esses requerimentos pela internet foram feitos até o final do prazo, ou seja, eles cumpriram com o estipulado. Só que a análise desse requerimento está sendo feita por agora. São cerca de 5 mil títulos requeridos pela internet, e que o cartório eleitoral está analisando. Do total de 507.231 eleitores aptos a votar em Uberlândia, a projeção é que chegue a aproximadamente 512 mil”, afirmou Figueiredo.

Crescimento entre jovens

De acordo com o cientista político Adelino Carvalho, o crescimento de jovens e adolescentes que buscaram tirar o título de eleitor foi causado, principalmente, pela campanha realizada pela Justiça Eleitoral sobre a importância do voto. No entanto, esse não é o único fator que influenciou no aumento.

“É um fenômeno inédito, que não se explica por uma razão só. Sem dúvida, a campanha do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi impactante, atuando nas redes sociais, o que acabou incorporando esse grande contingente de jovens no cenário político institucional. Mas há também uma certa angústia, uma sensação de desamparo dessa população, talvez em função do cenário pós-pandêmico, talvez em razão do alto índice de desemprego que atinge, sobretudo, essa população mais jovem, e que está efetivamente mais presente na democracia participativa”, explicou Carvalho.

Brasil

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral, entre janeiro e abril de 2022, o Brasil ganhou 2.042.817 novos eleitores na faixa etária de 16 a 18 anos. O número total em todas as faixas etárias, segundo o TSE, deve ser divulgado em julho.

De acordo com o presidente do TSE, o ministro Edson Fachin, 74% dos jovens que vão votar pela 1ª vez tiraram o título de eleitor em março ou abril. O percentual representa 1.513.886 eleitores adolescentes.

O aumento coincidiu com a campanha da Justiça Eleitoral e com a adesão ao movimento de artistas como a cantora Anitta e os atores Leonardo di Caprio e Mark Ruffalo, além da divulgação de vídeos de jovens em redes sociais. Juliette, Luísa Sonza, Bruna Marquezine e Zeca Pagodinho são alguns dos artistas que também participaram da campanha.

Do total de eleitores aptos a votar em 2022, 14 milhões só comparecerão aos locais de votação, em outubro, se quiserem. São pessoas com idades entre 16 e 17 anos e a partir dos 70 anos, com situação regular na Justiça Eleitoral e, para quem, o voto é facultativo.

De acordo com as Estatísticas do Eleitorado do TSE, em outubro de 2002, o Brasil possuía 8,8 milhões de eleitores de 16 e 17 anos e acima dos 70 anos, o que representava 7,6% do total de eleitores atos naquela eleição.

De lá pra cá, o total de eleitores aptos nessas faixas etárias cresceu 58% (um crescimento de 5,1 milhões de eleitores). No mesmo período, o total de eleitores aptos aumentou 29% (uma diferença de 33,1 milhões de eleitores).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.